Doença Isquémica dos Membros (Isquemia) - Descrição e tratamento

Sente os membros frios? A dor faz você parar enquanto caminha, e, gradualmente, interfere no seu sono? Provavelmente sofre de isquemia. Podem ocorrer necroses e formação de úlceras. O membro no estágio final estará ameaçado por amputação.

Advertência:Não use este ou qualquer outro artigo na Internet para fazer um diagnóstico. Somente um médico pode sempre fazer um diagnóstico correto. Não adie uma visita ao médico e lide com a sua condição de saúde a tempo.

Você quer lidar com a dor, redução da circulação sanguínea e inflamação?
Agora há possibilidade de uma aplicação gratuita de terapia magnética 3D Biomag.
Experimentar grátis >>
Isquemia de membros - descrição, tratamento
Imagem: : Doença Isquémica dos Membros (Isquemia)

Descrição da Isquemia dos Membros e as causas

A isquemia dos membros resulta em suprimento insuficiente de oxigénio e nutrientes para os músculos e outros tecidos em atividade. Devido à isquemia, os membros dos pacientes ficam sem sangue, o que, juntamente com outros fatores e a tendência de cicatrização lenta das feridas, leva a infecções cutâneas frequentes ou mesmo à morte dos tecidos.  O resultado é uma série de alterações tróficas que podem originar na amputação do membro.

A doença isquémica dos membros inferiores afeta as artérias nas pernas, que se estreitam até à sua oclusão.

As causas mais comuns de oclusão ou estreitamento das artérias são a aterosclerose (endurecimento das artérias), trombo (coágulo sanguíneo), doença de Buerger e vasoconstrição das artérias.

A doença isquémica dos membros superiores é muito menos comum do que a implicação nos membros inferiores. A patologia usual é o Fenómeno de Raynaud.

A isquemia aguda do membro manifesta-se por dor intensa repentina do membro, palidez sem edema, falta de pulso a partir da oclusão da artéria, incapacidade de mover o membro com sensibilidade alterada.

Os principais fatores de risco da doença:

  • fumar,
  • falta de movimento,
  • idade avançada,
  • stress psíquico,
  • obesidade,
  • colesterol,
  • pressão arterial alta,
  • diabetes e outros.

Tratamento da Isquemia dos Membros – livre-se da dor

A doença requer exame vascular especializado e um início precoce do tratamento, de acordo com o estágio e a localização da patologia. O objetivo é melhorar o fluxo arterial e preservar o membro. Aqui, o papel da cirurgia vascular é importante, cuja tarefa é garantir suprimento sanguíneo suficiente para a perna lesionada e limpar a corrente sanguínea (angioplastia, pontes …).

De uma perspectiva de longo prazo, o acerto no estilo de vida e a eliminação dos fatores de risco são importantes: do tabagismo, do stress, a redução de peso, o controlo da diabetes.

O objetivo do tratamento farmacológico é reduzir a agregação plaquetária e a formação de trombos (terapia antiplaquetária). Estas são principalmente manifestações nas artérias grandes e médias. Algumas das substâncias afetam diretamente as artérias e fazem com que se expandam (tratamento vasodilatador medicamentoso e terapia de infusão).

Na isquemia aguda do membro, é necessária a sua imobilização, proteção a suporte do membro, administração de heparina, analgésicos e tranquilidade do paciente.

No caso de um ferimento no membro, serão envolvidos métodos e ferramentas de cicatrização, como a terapia húmida ou fisioterapia.

  • Alterações tróficas – alterações na pele (a pele é mais seca, mais fria, descamada, ocorrem feridas, queda de cabelo, etc.).
  • Doença de Buerger (Thromboangiitis obliterans) – uma doença caracterizada por inflamação das artérias e veias dos membros superiores e inferiores (principalmente em fumadores).
  • Vasoconstrição ou contração dos vasos sanguíneos – um processo no qual as artérias e veias estreitam-se.
  • Aterosclerose – endurecimento das artérias devido a depósitos de gordura nas suas paredes.
  • Cicatrização húmida de feridas – um método de cura baseado no princípio de criar um ambiente húmido ideal na ferida.

Muito importante é uma atividade física regular e a reabilitação com o objetivo de melhorar a microcirculação – ou seja, influenciar a microangiopatia – dilatar pequenos pré-capilares e capilares e melhorar o fornecimento de sangue oxigenado e nutrientes diretamente aos músculos em atividade e outros tecidos.

A terapia magnética pulsada de baixa frequência, que utiliza um efeito vasodilatador, analgésico e cicatrizante com suporte de efeitos anti-inflamatórios, tem um lugar importante no tratamento reabilitador de algumas manifestações de isquemia dos membros. Não afeta o lúmen das artérias médias e grandes – aqui é necessário o tratamento antiplaquetário, infusão e possivelmente cirurgia, como mencionado acima.

A terapia magnética melhora significativamente a microcirculação do sangue oxigenado nos membros expostos pelo efeito vasodilatador nos capilares e pré-capilares. Suprime sintomas inflamatórios, dor, acelera a cicatrização de tecidos danificados e traz alívio geral.

A vantagem é a possibilidade de aplicações domiciliares individuais que permitem ao paciente continuar em tratamento intensivo de reabilitação em casa, fora do centro médico.

A possibilidade de prevenção secundária por suporte precoce e de longo prazo de melhor circulação sanguínea através da vasodilatação desde o início dos sintomas da doença também é vantajosa.