Polineuropatia - Descrição e tratamento

A sensibilidade nos seus membros diminui ou desaparece? Se você tem polineuropatia, também pode sentir formigamento, queimação e dor. Você pode ter insegurança na marcha, fraqueza muscular e cãibras musculares ou uma série de outros sintomas. Outra manifestação característica desta doença desagradável é uma possível perda de massa muscular nos membros.

Advertência:Não use este ou qualquer outro artigo na Internet para fazer um diagnóstico. Somente um médico pode sempre fazer um diagnóstico correto. Não adie uma visita ao médico e lide com a sua condição de saúde a tempo.

Você quer lidar com a dor e inflamação?
Agora há possibilidade de uma aplicação gratuita de terapia magnética 3D Biomag.
Experimentar grátis >>
Polineuropatia - descrição, tratamento
Imagem: : Polineuropatia

Descrição da polineuropatia e as causas

A polineuropatia é um grupo diversificado de distúrbios dos nervos periféricos. Geralmente é uma deficiência sistémica múltipla, que surge de várias influências internas e externas.

As polineuropatias mais comuns são:

  • polineuropatia desmielinizante inflamatória aguda e crónica,
  • polineuropatia na artrite reumatoide,
  • neuropatia diabética (em diabéticos com distúrbios do sistema nervoso),
  • polineuropatia alcoólica,
  • polineuropatia na doença de Lyme com manifestações dolorosas no sistema musculoesquelético,
  • polineuropatia tóxica – por exemplo, após intoxicação com benzeno, dissulfeto de carbono, chumbo,
  • polineuropatia após drogas neurotóxicas
  • polineuropatia metabólica e nutricional – por exemplo, hipotireoidismo, desnutrição

Se houver suspeita de polineuropatia, o médico realizará um exame geral, exame com eletromiografia (EMG), exame laboratorial e, às vezes, uma biópsia do nervo ou músculo.

No entanto, a causa da polineuropatia não é encontrada em 20-30% dos casos mesmo em locais clínicos especializados.

Tratamento da polineuropatia – livre-se de problemas

A polineuropatia é uma doença de todo o sistema nervoso periférico, ou seja, das fibras sensitivas, sensoriais, motoras e vegetativas, embora o seu envolvimento possa não ser o mesmo em todas as localizações e modalidades.

Portanto, também as manifestações da polineuropatia são diferentes: parestesia e disestesia, hipoestesia, dor neuropática, tremores, espasmos, cãibras musculares, paresia, fadiga, atrofia muscular, problemas de equilíbrio e outras.

O tratamento da polineuropatia baseia-se principalmente na solução da doença que levou à sua ocorrência – por exemplo, o término da exposição tóxica, suplementação de vitaminas em falta e outros.

O tratamento para a polineuropatia diabética é manter os níveis de glicose no sangue normais. Uma dieta adequada é um pré-requisito para manter os níveis de glicose no sangue sob controle e reduzir mais danos nos nervos.

Analgésicos, antidepressivos e outros são usados ​​para reduzir a dor e outros sintomas.

A ênfase é colocada na prevenção de formação de defeitos no membro inferior.

  • Antidepressivos – medicamentos para aliviar os sintomas da depressão clínica.
  • Defeito do membro inferior – danos ao membro inferior com base na doença sistémica, geralmente por desenvolver uma pequena lesão, com base na isquemia do membro ocorre destruição do tecido, infeção ou úlcera.
  • Eletromiografia (EMG) – exame de biossinais elétricos de músculo esquelético.
  • Glicemia – nível de açúcar no sangue.

Para evitar a perda de massa muscular e outros tecidos, inclui-se a reabilitação médica – principalmente exercícios para melhorar a estabilidade, praticar movimentos suaves das mãos e outros.

O tratamento sintomático da polineuropatia consiste principalmente em um esforço para reduzir a dor neuropática e os sintomas autonómicos que afligem muitos pacientes. Os seguintes são usados ​​principalmente: anti-inflamatórios não esteroides (antiflogísticos) e opiáceos para o tratamento da dor intensa.

A terapia magnética pulsada de baixa frequência tem um lugar importante no âmbito dos cuidados de reabilitação de algumas manifestações da polineuropatia. A terapia magnética atua exatamente nos sintomas que a maioria dos pacientes mais sofrem. Em benefício do paciente utiliza um efeito analgésico e cicatrizante com o apoio de regeneração e efeitos anti-inflamatórios. Alivia a dor e as manifestações inflamatórias, melhora as condições metabólicas dos tecidos e traz alívio geral.

A vantagem é a possibilidade de aplicações domiciliares individuais que permitem ao paciente continuar em tratamento intensivo de reabilitação em casa, fora do centro médico.

Outra vantagem é a possibilidade de uso precoce do tratamento no início de problemas e a possibilidade de aplicações diárias de longo prazo.